Contrabando: São Paulo contra o crime

clique aqui_revista1

Maior consumidor de produtos contrabandeados do País, o Estado cria frente parlamentar para combater a atividade

Somente no ano passado, o governo paulista perdeu mais de R$ 3,1 bilhões em tributos por causa do contrabando de tabaco, autopeças, eletroeletrônicos, bebidas e combustíveis. O Estado é o campeão nacional de produtos contrabandeados e também um dos principais polos de distribuição dessas mercadorias para o resto do país.

R$ 3,13 bilhõesO dinheiro que o Estado deixou de arrecadar em 2016 daria para construir 26 novos hospitais ou 107 novos CEUs. Para estancar essas perdas e combater o crime, a Assembleia Legislativa criou em junho a Frente Parlamentar Estadual de Combate ao Contrabando, liderada pelo deputado estadual Jorge Caruso (PMDB). “É  claro que uma importante parte dessa luta tem de ser travada nas fronteiras brasileiras, pois precisamos fechar as portas para a entrada ilegal de produtos vindos do Paraguai. Mas outra importante frente de atuação deve ser o combate ao comércio dessas mercadorias em nossas cidades”, justifica Caruso. “Isso é responsabilidade dos governos estaduais e das prefeituras, que já possuem diversos mecanismos para atingir esse objetivo, sejam eles na área de inteligência e repressão, sejam políticas tributárias que retirem dos produtos contrabandeados sua principal vantagem sobre aqueles fabricados legalmente no país: o preço.”
A Frente Parlamentar também pretende propor leis para reforçar o combate ao crime, cobrar mais ação repressiva do poder executivo e levar a discussão para toda a sociedade por meio de ações de mobilização e debates públicos. “Lutar contra o contrabando no Estado é lutar a favor da cidadania e da concretização de uma realidade almejada por toda a população de São Paulo”, lembra o presidente executivo do ETCO, Edson Vismona.

Compartilhe