Economia formal impulsiona a subterrânea

Por ETCO
19/11/2008

Fonte: Jornal do Commércio Brasil (RJ), 19/11/2008

A expansão da economia formal não diminui o nível da informalidade, a chamada “economia subterrânea’. Pelo contrário: até impulsiona.

O dado consta da segunda edição do Índice de Economia Subterrânea, da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e do Etco (Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial), divulgado ontem.

A economia não formalizada teve avanço de 4,7% entre dezembro de 2007 e junho de 2008, em relação ao tamanho que tinha no semestre passado. No mesmo semestre, o PIB avançou 6% (ante mesmo período de 2007).

O estudo do pesquisador Fernando de Holanda Barbosa Filho mostra que a expansão da economia formal absorve, sim, trabalhadores informais, o que não freia a economia subterrânea. Esta, por sua vez, se expande no encalço da aceleração do consumo dos novos trabalhadores formais. O estudo derruba outro mito, que estima em 40% a participação da economia subterrânea no PIB. “Nós ainda não temos como medir exatamente isso, mas 40% é um número absurdo”.