Ética: O que é isso, companheiro?

Por ETCO
08/12/2009

Fonte: Jornal de Jundiaí – Jundiaí/SP – 08/12/2009

Sabe Gabeira, é triste ver que os grandes brasileiros rareiam e o que sobra é a “ilha da fantasia” dizendo que as crianças carentes precisam de panetone e guloseimas. Crianças carentes precisam é de boas escolas, comida, cultura e políticos decentes… Gostaria de deixar patente que isso precisa ter um fim. Punição exemplar e vergonha na cara é fundamental. Nunca antes nesse país se viu tanta corrupção deslavada, descarada e destemperada. Para que isso não ocorra devemos colocar os culpados no local correto e punir exemplarmente.


É um escárnio ver a “fezinha da corrupção” e as desculpas dadas. Parabéns ao vice que teve a hombridade de lutar pela vida e pela limpeza e cidadania. Que péssimo exemplo para aqueles que vendo, ouvindo e percebendo tudo isso dizem que precisamos esperar o julgamento. Julgamento de quem já foi apontado com erros graves, pediu perdão e agora se mostra um monstro maior do que parecia. Aprendemos na Administração que o Benchmarking poderia ser uma boa técnica quando alguém necessitasse melhorar seu negócio, seus produtos e suas práticas.

Pois poderia copiar dos melhores e inovar no seu negócio. Copiar e aprimorar. Aprendeu sobre qualidade total, ISO 9000 e 14000 e tantas técnicas que percebeu a riqueza de detalhes que tinha nessa profissão de administrador. Precisamos qualificar o país e através de um bom Benchmarking fazer com que os que nos envergonhem sejam banidos e punidos. Para que isso funcione, Companheiro Gabeira, não se pode parecer honesto, temos que efetivamente ser honestos.


Até tu, Arruda, que parecia ser um excelente governador e tinha se regenerado. Sendo assim, quero repetir o instituto ETCO, de que não existe meio ética: “ou se é ou não é… Parece que essa lição não foi ensinada ao governador da capital, que cometeu um pecado capital: “Panetone bom é aquele dado eticamente”, pois quem mente não tem moral pra nada, nem pra ser governador. O que é isso, Companheiro?

Também gostaria de dizer que precisaríamos dar curso de Administração para nossos governantes para aprender sobre ética, corte de custos, gerenciamento, liderança e, além disso, também um pouco de saber sair de cena e não dar explicações inexplicáveis, assim como aquele Senador que disse para toda nação que: “sua saída seria em caráter irrevogável”, revogou o irrevogável e continua por aí… Brasil, mostra a sua cara, tire os corruptos da linha de frente e coloque os mesmos no seu devido lugar. E haja cadeia para tanta gente. O que é isso, Companheira?

Robson Paniago é Doutor em Ciências Empresariais pela UMSA – Ar, Coordenador do Curso de Administração do Centro Unisal – Campinas e Professor de graduação e MBA da FGV. Palestrante e autor dos livros: Administração & Poesia (2002), TGA – Made in Brazil (2006) e um cap. de Estudar e Aprender (2008) e Construindo Saberes (2009). Site: www.robsonpaniago.com.br (clique em livros). Blog: robsonpaniago. blogspot.com.