Campanha “Empreendedor Legal” incentiva o uso de software legalizado

Fonte: Lyderis

ABES defende que ao usar um software pirata, empresas prejudicam o mercado, contribuem para o aumento do desemprego e ainda atrasam o crescimento econômico do país

A ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software – lançou ontem, dia 27 de março , a Campanha “Empreendedor Legal” com o objetivo de combater a concorrência desleal e fomentar a competitividade nacional, explorando a importância do uso do software legalizado, entre os empresários brasileiros de qualquer segmento, e o respeito à propriedade intelectual.

“ALGUNS ERROS ESTÃO NA CARA. OUTROS NÃO”: está é a mensagem da campanha que traça um paralelo com o jogo dos 7 erros, enfatizando que é fácil esconder algumas práticas de concorrência desleal como, por exemplo, a pirataria de software. Ao usar um software pirata, a empresa se beneficia ilegalmente em prejuízo dos seus competidores, contribui para o aumento do desemprego e ainda prejudica o crescimento econômico do país.

O Portal de Denúncia Anônima (www.denunciepirataria.org.br) é o destaque da campanha que abre um novo canal de comunicação entre as empresas e as associações, estimulando um comportamento ativo da sociedade no combate à concorrência desleal para que prevaleça um ambiente de concorrência justa dentro do país.

A união entre entidades governamentais e a indústria é o grande alicerce da campanha que conta com a parceria da ABPI – Associação Brasileira da Propriedade Intelectualdo, APEX – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, BSA – The Software Alliance, CNC – Confederação Nacional do Comércio, do CNCP – Conselho Nacional de Combate à Pirataria, do ETCO – Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial e do MBC – Movimento Brasil Competitivo.

“Queremos com esta campanha, dar aos empreendedores e aos executivos brasileiros uma maior consciência acerca dos princípios e vantagens da competição leal, cada vez mais exigida por consumidores, sociedade e mercados de exportação”, explicou Gérson Schmitt, presidente da ABES.

A campanha tem como pano de fundo as altas taxas de pirataria de software no Brasil que ainda atingem 53% do mercado, de acordo com pesquisa da BSA – The Software Alliance. Essa atividade anda na contramão do crescimento econômico e da prosperidade do país, contribuindo para o crime organizado e impedindo o crescimento de mercados, investimentos no desenvolvimento de novas tecnologias, geração de novos empregos e prejudicando a arrecadação de tributos.

Compartilhe