Com os cofres cheios

Por ETCO
27/07/2010

Fonte: Gazeta de Ribeirão – Ribeirão Preto/SP – CIDADE – 27/07/2010

RAISSA SCHEFFER
Gazeta de Ribeirão

A arrecadação da Delegacia da Receita Federal em Ribeirão Preto cresceu cerca de 21,7% no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2009. Segundo os dados do órgão, de janeiro a junho deste ano foram arrecadados R$ 2,09 bilhões pela Receita na região. No mesmo período do ano passado, foram R$ 1,72 bilhão.

Em todo o País, foram R$ 379,4 bilhões arrecadados no primeiro semestre deste ano, marca recorde e 12,4% maior em relação ao mesmo período de 2009. De acordo com o economista João Marino Júnior, professor especialista em finanças públicas da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão (FEA-RP/USP), uma série de fatores impulsionou a alta nos valores arrecadados pela Receita.


“E o principal deles foi a retomada econômica, que aumentou as vendas no comércio, aqueceu a produção na indústria e elevou as contratações com carteira assinada. Isso impulsiona a arrecadação em geral da Receita, tanto as previdenciárias como as fazendárias”, disse Marino.


Segundo a Receita, nas 33 cidades que fazem parte da Delegacia de Ribeirão, a arrecadação previdenciária no primeiro semestre deste ano foi de R$ 881,9 milhões, 20% a mais em relação ao ano passado. Já a arrecadação das receitas fazendárias —relativas aos tributos e impostos— tiveram alta de 32% no período, de R$ 919,9 milhões em 2009, para R$ 1,2 bilhão nos primeiros seis meses deste ano.


Para Adriano Legnari Faria, coordenador do Núcleo de Apoio em Controladoria, Finanças e Tributos do Centro das Indústrias de São Paulo em Ribeirão (Ciesp), programas de combate à sonegação de impostos, como a Nota Fiscal Eletrônica, também contribuíram para a alta na arrecadação. “E a tendência é que a arrecadação cresça ainda mais até o final do ano, pois todas as empresas são obrigadas a trabalhar com a Nota Eletrônica.”


O empresário Ricardo Nogueira, 46, dono de uma fábrica para produtos para piscina, utiliza o sistema de Nota Fiscal Eletrônica desde setembro de 2009. “É um programa que facilitou as operações e proporcionou um recolhimento de impostos rigoroso.”

População não recebe retorno


O fôlego de crescimento na arrecadação de tributos não é o mesmo em relação os serviços que a população recebe, de acordo com o economista João Marino Júnior. “A carga de tributos e impostos no nosso País é considerada muito intensa pois não temos retorno do que pagamos. Os serviços prestados não são satisfatórios.” Ontem, o Impostômetro —ferramenta eletrônica que calcula o valor arrecadado pelos governos federal, estaduais e municipais— atingiu R$ 700 bilhões no ano. A marca foi alcançada 40 dias antes que em 2009. “Os recordes de arrecadação em 2010 demonstram a possibilidade real do governo começar a diminuir a carga de tributos para o contribuinte”, disse a diretora do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, Letícia do Amaral. Para o empresário Ricardo Nogueira, que sente o peso dos impostos todos os meses, é preciso encontrar soluções como a unificação de tributos. “Faturo em um dia e na próxima semana já tenho de pagar os impostos.” (RS)

Arrecadação em RP e no País


1,21 bi de reais é a arrecadação de receitas fazendárias no 1º semestre deste ano em RP.


2,09 bi de reais é a arrecadação total da Delegacia da Receita Federal em Ribeirão no 1º semestre.


379,4 bi de reais é a arrecadação no 1º semestre deste ano pela Receita Federal em todo o País.