Dono de mansão no Morumbi comandava falsificação de cigarros e remédios

Por ETCO
05/10/2007

Fonte: Extra – RJ, 05/10/2007

SÃO PAULO – O dono de uma mansão do Morumbi foi preso em flagrante acusado de comandar um esquema de falsificação de remédios e cigarros. Máquinas de impressão, cilindros com nomes de marcas de cigarro, papel ouro e laminado foram encontrado em um galpão que, segundo a polícia, produzia embalagens falsificadas de cigarro com perfeição. Os falsificadores conseguiram copiar o papel que é fornecido para as empresas de tabaco pela Casa da Moeda. Um trabalho que exige técnica e investimento.

Quatro pessoas foram presas em flagrante. Uma delas é um químico que trabalhava no local. Outro se diz consultor de vendas, mas a polícia acredita que ele seja um dos sócios no esquema. É ele quem mora em uma mansão no Morumbi. A polícia fez uma busca no escritório da quadrilha e acabou encontrando ainda embalagens falsificadas de medicamentos e uma lista de contatos de laboratórios. Agora os nomes da lista também vão ser investigados.


De acordo com a polícia, foram três meses de investigação para chegar à quadrilha. Parte da operação ficava na cidade de Piedade, na região de Sorocaba. No local, foram encontradas máquinas para enrolar cigarros e empacotar os maços. Também foram apreendidos rótulos falsificados e 32 toneladas de fumo. O gerente foi preso e a empresa lacrada nesta quinta-feira.

Nesta sexta, os policiais chegaram a uma empresa de embalagens na Grande São Paulo. O próximo passo será encontrar os produtores da mercadoria.


– Tudo será periciado e depois as investigações irão continuar, porque infelizmente a coisa não pára por aí – disse o delegado Luiz Antonio Pinheiro.


Os presos vão ser indiciados por falsificação e formação de quadrilha. Eles podem responder ainda por crime contra a saúde por causa das embalagens de medicamentos.