Empresas se unem no combate à pirataria

Por ETCO
29/06/2005


Por Murilo Camarotto, Gazeta Mercantil – 29/06/2005


São Paulo, 29 de Junho de 2005 – Sete empresas do ramo de informática e eletrônica de consumo anunciaram ontem a criação do Instituto Brasil Legal (IBL), que irá trabalhar para combater as práticas de contrabando e pirataria no setor. O presidente da nova entidade será o advogado Edson Vismona, especialista em direito empresarial e ex-secretário de Justiça do governo Mário Covas.


Intel, AMD, Microsoft, Panasonic, Phillips, Dell e Semp Toshiba, empresas associadas ao IBL, decidiram se unir contra as práticas predatórias. Segundo Vismona, todos os anos o País deixa de arrecadar R$ 96 bilhões com falsificação e contrabando. O trabalho do IBL consistirá em identificar práticas ilegais, reunir informações recolhidas pelas áreas comerciais destas sete empresas e levá-las às autoridades. Vismona afirmou que existe a possibilidade de o instituto firmar convênios com a Receita.


China


A China prendeu 2,6 mil pessoas desde o começo deste ano por violar leis de propriedade intelectual e desarticulou 2.960 centros de impressão de produtos piratas, de acordo com números oficiais.