Fórum Nacional Contra a Pirataria reuniu Governo Federal, empresas, entidades e sindicatos em SP

Por ETCO
28/03/2005

Fonte: Item Comunicação, 28/03/2005

São Paulo, 28 de março de 2005 – A ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software), a BSA (Business Software Alliance) e demais entidades fundadoras do Fórum Nacional Permanente Contra a Pirataria e Ilegalidade anunciam que mais de cem representantes de entidades, associações e sindicatos estiveram presentes no terceiro encontro do Fórum, ocorrido no dia 21 de março no Hotel Meliá, em São Paulo.


A abertura do evento foi feita por André de Almeida, coordenador do Fórum, consultor jurídico da BSA (Business Software Alliance) e representante da indústria de software no CNCP (Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual)


Almeida falou sobre a importância da participação da sociedade civil nas decisões a serem levadas ao Governo já que é a mais afetada por este tipo de crime organizado. Divulgou números de perdas e fez um panorama do que foi, e como está o combate à pirataria no Brasil. ?As propostas definidas pelo CNCP, agora oficiais, teve a participação efetiva de quem mais sofre com este tipo de crime organizado, o que as torna ainda mais possíveis de serem colocadas em prática. O Fórum será o canal de comunicação da sociedade civil com o Governo Federal e continuaremos realizando encontros para debates sobre o está sendo feito em prol das empresas que perdem com a pirataria?, afirmou Almeida.


Após o discurso de Almeida, o presidente do CNCP e secretário-executivo do Ministério da Justiça, Dr. Luiz Paulo Barreto demosntrou que a pirataria apresenta, neste governo, problema prioritário a ser combatido.


Em seguida, o representante do Instituto ETCO, Emerson Kapaz deu seu parecer sobre a pirataria e apresentou os presentes na mesa:, Márcio Gonçalve,s secretário executivo do CNCP, os deputados federais Walter Rubinelli e Júlio Semeghini, o representante da ABPD (Associação Brasileira dos Produtores de Discos), Paulo Rosa, e Carlos Alberto Camargo da ADEPI (XPTO).


O encontro teve a missão de discutir as propostas do Plano Nacional de Combate à Pirataria, elaboradas pelos próprios participantes do Fórum e divulgadas pelo governo federal na semana passada.


?O Governo já está unido à Polícia Federal e entidades nas operações e apreensões de material pirata. Em uma única operação, em São Paulo, apreendemos 400 mil CDr e 47 mil DVDr. Em 2004, o valor em material apreendido ultrapassou os 400 milhões de reais. Cem milhões a mais que o ano de 2003?, apresentou Márcio Gonçalves, secretário executivo do CNCP.


Vários setores estiveram presentes no encontro. Dentre eles: Livros; Software; fonográfico; Combustíveis, Refrigerantes, Cervejas; Cigarros; Produtos de Limpeza e afins; Perfumes; Cosméticos; Brinquedos, Produtos e Equipamentos Óticos, Automação Industrial; Peças Automotivas, Componentes Elétricos e Eletrônicos; Equipamentos Industriais; Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica; informática; Audiovisual (Vídeos/Filmes e Locadoras), Materiais Elétrico; Telecomunicações; Eletroeletrônicas; Domésticas; Isqueiros, canetas, shoppings centers, televisão aberta, tv por assinatura, Telecomunicações, Tecnologia da Informação, aparelhos de iluminação, além de diversos sindicatos de trabalhadores destes setores, uma vez que a pitaria causou assombrosa redução de empregos nestes últimos anos.


Sobre a ABES


A Associação Brasileira das Empresas de Software (www.abes.org.br) é uma entidade representativa do setor de software, que congrega mais de 670 empresas no Brasil responsáveis por aproximadamente 85% do mercado, atuando há 18 anos em prol do setor, tanto nas áreas legislativa e tributária, quanto no que diz respeito à instituição de políticas voltadas para o crescimento do setor de software no país, particularmente no que concerne à produção local de programas de computador e pesquisa e desenvolvimento na área de tecnologia da informação, além de trabalhar na defesa dos direitos autorais de programas de computador.



Sobre a BSA


A Business Software Alliance – BSA – (www.bsa.org) é a principal organização dedicada a promover um mundo digital seguro e legal. A BSA representa os setores mundiais de software, hardware e Internet perante os governos e os consumidores no mercado internacional, sendo que seus associados formam o setor econômico de mais rápido crescimento no mundo. A BSA instrui os usuários de computador sobre os direitos autorais de software e segurança cibernética, comércio eletrônico e outras questões ligadas à Internet. Entre os associados da BSA estão empresas como Adobe, Apple, Autodesk, Avid, Bentley Systems, Borland, Cisco Systems, CNC Software/Mastercam, Dell, Entrust, HP, IBM, Intel, Internet Security Systems, Intuit, Macromedia, McAfee, Microsoft, RSA Security, SolidWorks, Sybase, Symantec, UGS e VERITAS Software.