Inspetorias da Fazenda estão sendo reformadas

Por ETCO
07/05/2008

Autor: Christiane Jordão

Fonte: Governo do Estado do Rio de Janeiro, 07/05/2008

As instalações da Fazenda estão sendo reformadas com o objetivo de melhorar o ambiente de trabalho e a qualidade do atendimento aos contribuintes. Diversas inspetorias, barreiras fiscais e mesmo as instalações da Rua da Alfândega começam a ficar de cara nova.

Para revitalizar as instalações, o Departamento Geral de Administração Fazendária (DGAF) fez um levantamento das necessidades e, depois, iniciou as obras que incluíram desde pequenos consertos à total reforma de departamentos. Boa parte do serviço foi realizado por pessoal interno, contribuindo para reduzir os custos.

Entre as reformas já concluídas estão as da Inspetoria de Irajá, Petrópolis, Araruama, Botafogo, e Campos dos Goytacazes. O prédio onde se localizam as Inspetorias de Fiscalização Especializadas (IFEs), na Rua Visconde do Rio Branco 55, também está sendo gradativamente restaurado. Posto de Controle Interestadual de Nhangapi, localizado no km 324 da Rodovia Presidente Dutra, em Itatiaia, também recebeu novas cabines de atendimento e alojamentos, prédio administrativo com dois pavimentos e depósito para mercadorias, exemplifica a diretora do DGAF, Manon Correa Guedes. O investimento de R$ 6 milhões foi realizado em parceria com o setor privado, por meio do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco). A reforma da barreira fiscal tornará mais eficiente a fiscalização das mercadorias transportadas pelo local, por onde passam aproximadamente 1,2 milhão de caminhões por ano.

A reforma da barreira tornará mais eficiente a fiscalização das mercadorias transportadas pelo local por onde passam aproximadamente 1,2 milhão de caminhões por ano.- Além de uma nova pintura interna, estão sendo feitas revisões elétrica e hidráulica, substituição geral do piso e reforma nas copas e banheiros, informa Manon. Na Inspetoria de Campo Grande, fizemos uma pintura geral do primeiro e do segundo andar, tiramos infiltrações, mexemos na iluminação, acrescenta Maurício Noya, Diretor do Departamento de Apoio Operacional.No prédio da Alfândega 42, as reformas começaram pelo 4º andar, ocupado pelo DGAF. Nele, os serviços executados foram basicamente o sistema de ilhas de serviços em substituição às divisórias altas, proporcionando efetivamente a integração das equipes, melhor iluminação maior rendimento dos equipamentos de ar condicionado.Os andares 5º e 6º, do mesmo edifício, onde ficam a Contadoria e a Auditoria, também passaram por modificações. Foi realizada uma reforma geral, com mudanças de layout, adotado o sistema de ilhas. O piso ainda será substituído. A Contadoria, que ocupava o 7º andar, passou para o 5º. Já a Auditoria, que ocupava o 5º e 6º andares, foi para o 6º piso. Com a liberação do 7º andar, foi iniciado estudo para trazer para este local a Assessoria de Tecnologia da Informação, que hoje ocupa um imóvel alugado na Praça Pio X.

O 2º andar, onde fica a Subsecretaria de Finanças e a Subsecretaria de Política Fiscal, também aderiu ao sistema ilhas de serviços e recebeu uma troca geral do piso e de alguns vidros; além de pintura das paredes.