Ministério vai ampliar a fiscalização em Foz

Por ETCO
28/01/2005

Fonte: Folha de S. Paulo, 23/01/2005

Por Dimitri do Valle, free-lance para a Agência Folha, em Curitiba


O Ministério da Justiça anunciou que serão intensificadas as operações de combate ao contrabando e à pirataria na região da Tríplice Fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. As ações serão realizadas na região de Foz do Iguaçu (PR) ao longo do ano. Um dos alvos principais serão os ônibus de sacoleiros que regressam de Ciudad del Este, no Paraguai, onde buscam as mercadorias.


O secretário-executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Barreto, afirmou que a repressão voltará a envolver diferentes órgãos da União -como Receita Federal, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal- e as polícias do Paraná. O governo brasileiro também pedirá apoio às autoridades paraguaias.


Barreto disse que as futuras ações vão seguir os moldes da Operação Catarata, mas com efetivo maior de policiais e fiscais. Em 45 dias de fiscalização na Tríplice Fronteira, a operação terminou com as apreensões de 87 ônibus, US$ 45 milhões em mercadorias, 21 quilos de cocaína, 900 quilos de maconha e quase mil cartuchos de vários calibres.


O Ministério da Justiça calculou que dois terços do esquema de contrabando e comércio de produtos piratas foram paralisados durante a operação.


“A Catarata foi apenas um ensaio. A partir de agora serão megaoperações”, disse Barreto. O secretário disse que o aumento da repressão policial é o único meio de abalar um setor que, segundo estimativas do governo federal, gera prejuízos de R$ 10 bilhões ao ano em sonegação de impostos, desemprego e abandono de investimentos das empresas.


Até o final de fevereiro, deve ser concluído o Plano Nacional de Combate à Pirataria. O projeto está sendo elaborado pelo Conselho Nacional de Combate à Pirataria.

RELACIONADAS