PB: família é condenada pela Justiça por formação de quadrilha

Por ETCO
13/07/2010

Fonte: JB Online – Rio de Janeiro/RJ – 13/07/2010

Portal Terra



JOÃO PESSOA – A Justiça Federal da Paraíba condenou o empresário Daniel dos Santos Moreira, conhecido como Daniel da Coroa, a 42 anos de prisão, além de multa de R$ 979,2 mil, por formação de quadrilha, corrupção de agentes públicos, falsificação de selos de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e lavagem de dinheiro. A mulher, o filho e irmão do empresário também foram condenados, pelos crimes que eram cometidos em nove estados.


O empresário recebeu, na semana passada, da Assembleia Legislativa da Paraíba, a comenda Medalha Governador Antônio Mariz, o que gerou uma nota de repúdio do Ministério Público Federal.


Para a Justiça, o pai, o filho e a mãe, eram os donos da empresa Engarrafamento Coroa Ltda., e lideravam uma organização criminosa que sonegava impostos, por meio da falsificação de selos de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). De acordo com o Ministério Público, eles abriam empresas falsas e corrompiam fiscais.


Eliezer dos Santos Moreira, irmão de Daniel da Coroa, e José Valdistélio Garcia, foram condenados por participação indireta como testas de ferro.


Maria Madalena Braz Moreira, mulher do empresário, foi condenada a 32 anos e 3 meses de prisão, e multa de R$ 532,8 mil. O filho do casal, Raniery Mazzilli Braz Moreira recebeu pena de 38 anos e 6 meses, além de multa de R$ 524.880,00. Também foram condenados José Valdistélio Garcia (29 anos, 5 meses e multa de R$ 33,3 mil), e Eliezer dos Santos Moreira (32 anos, 3 meses e multa de R$ 33,3 mil). A Justiça determinou ainda a perda de vários imóveis, uma aeronave, um veículo Jaguar, e diversas joias dos condenados.


Após apreensão de uma grande quantidade de bebida da Engarrafamento Coroa com selo ilegal, o Ministério Público Federal, Polícia Federal e Receita Federal, deflagraram a Operação Catuaba.