Presos com medicamentos contrabandeados

Por ETCO
29/10/2009

Autor: Janaina Monteiro

Fonte: Paraná Online – PR – 29/10/2009

Cinco suspeitos de comercializar medicamentos contrabandeados e sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foram presos ontem em Curitiba, Pinhais e Almirante Tamandaré.

Entre os detidos está uma nutricionista e o marido dela, donos de duas lojas em shoppings de Curitiba, onde vendiam os produtos. Os medicamentos serão encaminhados à perícia, pois há suspeita de que sejam falsificados.

Durante a operação do Nucrisa (Núcleo de Repressão aos Crimes contra a Saúde), realizada pela manhã, foram apreendidos R$ 8 mil em produtos, como emagrecedores, anabolizantes, precursores de hormônio do crescimento (GH) e de hormônio masculino, e também suplementos alimentares.

A polícia também apreendeu blocos de receituários e carimbo de médico, usados para prescrever os remédios. “Vamos investigar a origem das receitas”, afirmou a delegada Ana Claudia Machado, que comandou a operação.

Denúncia


As investigações começaram há cerca de quatro meses, depois da denúncia anônima dando conta que Gislândia André Bezerra, 27 anos, estaria vendendo os produtos comprados no Paraguai, onde a venda é liberada.

“Ela ia para o Paraguai em média duas vezes por semana”, contou a delegada. Além de Gislândia, que é conhecida como “Catarina”, foram presos Juarez Gohenski, 41, o “Xuxu”, e Marino da Silva Filho, 39, o “Gê”, e o casal Jackson Oliveira Barros, 30, e Karin C. Fuhrmann, 29.

Juarez e Jackson eram clientes de Gislândia. Há suspeita de que o primeiro revendia produtos em academias e um de seus compradores era Marino que, por sua vez, vendia os medicamentos por telefone. Jackson é marido e sócio de Karin.

“As investigações apontam que ele vendia os produtos em exibições de fisiculturismo e em duas lojas de sua propriedade”, contou Ana Cláudia. Karin se aproveitava da função de nutricionista e indicava os remédios vendidos pelo marido a seus pacientes, segundo a delegada.

Autuações


Os cinco foram autuados em flagrante por falsificação, corrupção e adulteração ou alteração de produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais e também poderão responder por exercício ilegal da medicina. Todos foram encaminhados para o Centro de Triagem I e II.


A operação contou com o auxilio de equipes da Vigilância Sanitária de Curitiba e Pinhais e apoio do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais) e do Sicride (Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas).

Remédios causam danos à saúde


Alguns produtos apreendidos, de acordo com a polícia, são de uso animal e comprometem a saúde humana. “Muitas pessoas usam essas substâncias sem saber o mal que elas podem causar”, alertou a delegada.


Após a análise da mercadoria apreendida e da conclusão das investigações, eles poderão ser autuados por exercício ilegal da medicina por e tráfico de drogas, se a perícia comprovar que causam dependência física.

Outro


Na semana passada, José Henrique Dias de Lima foi preso com diversos anabolizantes do Paraguai e sem registro. De acordo com a delegada, ele vendia os medicamentos pela internet e os entregava pessoalmente ou pelo correio.