Serviço público

Por ETCO
11/12/2007

Fonte: O Bancário – Nº 4089, 11/12/2007

A população pode ter acesso a serviço público de maior qualidade, o que tornaria desnecessárias terceirizações e, em conseqüência, gastos extras, sem a necessidade de criar mais imposto. A conclusão é de pesquisa feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a pedido do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco).

Se houvesse uma melhor gestão dos serviços e maior controle, seria possível melhorar a qualidade de diversos setores, como escolas e saúde. Dessa forma, não seria necessário procurar entidades particulares de ensino e contratar planos de saúde, por exemplo. A pesquisa mostrou que os gastos do governo não estão ligados diretamente à qualidade na prestação de serviços. Conforme o estudo, em 2005, por exemplo, 22% do PIB eram formados por “baixa ou zero produtividade”, parcela composta por aposentados e funcionários públicos.

A maior fatia do dinheiro público, segundo a pesquisa, vai para o pagamento da folha de pessoal, seguido por gastos com a Previdência Social, juros, educação, saúde, investimentos e subsídios.