“A face da pirataria” na Couromoda

Uma ação inédita do Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual (CNCP) movimentou a feira Couromoda, realizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, entre os dias 16 e 19 de janeiro. Pela primeira vez, a questão do combate à pirataria e comércio ilegal foi levada aos 85 mil visitantes da maior feira de calçados e acessórios das Américas.

O CNCP participou do evento, com um estande de 34 m2, a convite da Associação de Comerciantes e Industriais de Servidores de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI), da organização da Couromoda e da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).

Com a exposição “A Face da Pirataria”, durante os quatro dias de realização da Couromoda, o Conselho expôs a importância do consumo de produtos originais, com o objetivo de mostrar aos empresários participantes a comparação de produtos contrafeitos, piratas e originais. Complementarmente, o público teve acesso a informações sobre operações de repressão e combate à pirataria, realizadas em todo o território brasileiro.

O estande do CNCP contou ainda com a participação da Associação Antipirataria de Cinema e Música (APCM), do Grupo de Proteção às Marcas (BPG) e da Associação Brasileira de Empresas de Software (ABES).

Com 3.000 marcas expositoras, a Couromoda encerrou a edição deste ano com 85 mil visitas de lojistas, importadores, industriais e demais profissionais da cadeia de produção de couro/calçado. Esses números representam 41 mil visitantes únicos, vindos de 60 países, embalados por um crescimento de 7% no consumo de calçados no mercado brasileiro no ano de 2011 (cerca de 780 milhões de pares). Segundo os organizadores do evento, o mercado doméstico continua aquecido e os negócios encaminhados durante a feira tiveram crescimento de 10%.

 

Compartilhe