Concorrência desleal preocupa setor da moda nacional

modaA concorrência desleal de produtos importados de países que exploram a mão de obra de baixa remuneração é uma das preocupações do setor brasileiro de moda. A afirmação é de Hildegard Angel, coordenadora do Comitê Zuzu Angel de Moda do Conselho Empresarial de Cultura da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), em fala a lideranças do setor, em evento realizado na capital carioca.

 

Hildegard Angel abriu um seminário promovido pela ACRJ, cujo propósito foi debater os problemas enfrentados pela cadeia produtiva da moda nacional. Em 2012, o faturamento do setor atingiu R$ 140 bilhões, colocando o Brasil na oitiva posição do ranking mundial.

Hildegard abordou o papel da moda como impulsionador do desenvolvimento econômico do país, com destaque para as exportações de moda do estado do Rio de Janeiro.

 

Ela sugeriu o estabelecimento de políticas que defendam a mão de obra e a indústria nacional e que privilegiem o setor produtivo e não só o setor financeiro.

 

Para a coordenadora, a política que salva a produção nacional é a dos juros mais baixos. Além disso, sugeriu que o governo deve estar atento a políticas que estabeleçam o livre comércio com terceiros países, sem pagar impostos, “pois tudo isso derruba a indústria brasileira”.
As exportações de moda do estado do Rio de Janeiro bateram um recorde histórico no ano passado, atingindo 15% de participação nas vendas externas totais brasileiras de setor, com preço médio elevado de exportação.

 

 

Fonte: RAC Campinas SP 11/10/2014

 

 

Clique aqui e leia a matéria completa

Compartilhe