Conferência premia empresas aprovadas no Pró-Ética 2015 e debate Lei Anticorrupção

Evento da CGU teve apoio do ETCO e discutiu temas como compliance e integridade empresarial

Valdir Simão, Ministro do CGU: empresas com bom compliance sairão na frente

Valdir Simão, Ministro do CGU: “empresas com bom compliance sairão na frente”

Evandro Guimarães, presidente do ETCO, falou sobre o momento do país e a valorização dos programas de integridade

Evandro Guimarães, presidente do ETCO, falou sobre o momento do país e a valorização dos programas de integridade

A Controladoria-Geral da União (CGU), com apoio do ETCO-Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial, promoveu, no dia 9 de novembro, no Rio, a 2ª Conferência Lei Empresa Limpa. O evento debateu questões relacionadas à Lei Anticorrupção (Lei 12.846/2013) e também premiou as empresas aprovadas no Pró-Ética 2015, iniciativa da CGU e do Instituto Ethos que reconhece as organizações comprometidas com a integridade, a transparência, a prevenção e o combate à corrupção.

O presidente do ETCO, Evandro Guimarães, falou na abertura do evento sobre o momento que o Brasil está vivendo em relação à corrupção e à valorização dos programas de integridade. Ele também participou da cerimônia de entrega de prêmios às empresas aprovadas no Pró-Ética.  

O ministro Valdir Simão, da Controladoria-Geral da União, também destacou esses pontos. “A nova lei é rigorosa. As empresas podem ser punidas com uma multa que vai até 20% do seu faturamento”, lembrou. Segundo ele, a adoção de mecanismos de integridade será num futuro muito próximo uma vantagem competitiva. “As empresas que estiverem preparadas para esse novo ambiente certamente sairão na frente”, afirmou.

Para Marina Ferro, coordenadora de projetos do Instituto Ethos, “hoje, uma empresa que utiliza a ética como diferencial de mercado é vista de forma destacada perante seus clientes e até concorrentes”. Segundo ela, “essa é uma nova realidade que ações como o Pró-Ética fortalecem e encorajam”.

Patricia Audi, secretária de Transparência e Prevenção da Corrupção da CGU, enfatizou que atos de corrupção vão além dos conhecidos subornos a funcionários de empresas públicas ou privadas; fraudes e irregularidades em contratos públicos também são consideradas formas de corrupção.

 

Confira a lista das empresas aprovadas no Pró-Ética

·   ABB
·   AES Eletropaulo
·   AES Sul
·   AES Tietê
·   AES Uruguaiana
·   Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)
·   Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC)
·   Dudalina
·   Duratex
·   EDP Energias do Brasil
·   Elektro Eletricidade e Serviços
·   Ernst & Young
·   GranBio
·   ICTS
·   Osram do Brasil Lâmpadas Elétricas
·   Santander Brasil
·   Siemens
·   SNC-Lavalin Meio Ambiente
·   3M do Brasil

 

Compartilhe