Curitiba recebe Semana Original, do Sindireceita

Semana original CuritbaOrganizado pelo Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita),com o apoio do ETCO, o evento faz parte campanha nacional “Viva a Originalidade: Pirata tô fora!”, lançada pelo Sindireceita em 2005. A solenidade de abertura, realizada em 9/12, contou com a presença de diversas autoridades locais.

As atividades que integram a Semana Original visam sensibilizar a sociedade quanto à valorização das ideias, atitudes, projetos, produtos originais, combate ao contrabando, pirataria, descaminho e têm, também, o objetivo de mostrar a importância dos tributos. A iniciativa busca ainda mostrar ao cidadão os riscos e prejuízos que a pirataria causa ao País e a toda a população.

Para a Presidente do Sindireceita, Sílvia de Alencar, essa atividade é essencial para despertar o interesse da sociedade acerca do tema. “A pirataria é um crime e deve ser tratada como tal. A sociedade hoje normaliza esse tipo de crime e os infratores se aproveitam disso para lucrar, mantendo um mercado que faz com que o País perca bilhões e deixe de gerar empregos”, explica.

No decorrer da semana serão realizadas palestras e ações com o objetivo de levar educação fiscal a todos os setores da sociedade, em especial aos estudantes do ensino fundamental. Entre as ações, estão previstas as palestras do Analista-Tributário e Diretor do Sindireceita, Moisés Hoyos. “É importante educar desde cedo sobre essas questões, para que a pirataria não continue a ser tratada como algo natural nas novas gerações. A criança precisa entender os prejuízos de comprar tênis, jogos e outros bens pirateados ou falsificados”, afirma Hoyos.

O Sindireceita lançou a Campanha Nacional “Pirata: tô fora! Só uso Original” em 2005, no Ministério da Justiça, em Brasília, DF. Desde então, foram realizadas diversas ações em todo o País. A Campanha também foi incluída, em um relatório de atividades do Ministério da Justiça, entre as principais ações educativas em andamento no Brasil e integrou o esforço olímpico pela candidatura do Rio de Janeiro como cidade sede dos jogos em 2016. Um relatório detalhado das ações da Campanha foi encaminhado, por solicitação do Comitê de Candidatura Rio 2016, à sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos em Lausanne, na Suíça. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) enviou ao Comitê Olímpico Internacional (COI) um memorando em que o Brasil se compromete a respeitar a propriedade intelectual durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. De acordo com o COB, o apoio do Sindireceita foi fundamental no que tange às exigências do COI referentes à proteção das marcas.

Desde o lançamento, a Campanha “Pirata: tô fora. Só uso original!” desencadeou reações em todo o País. Nos últimos anos, o Sindireceita recebeu centenas de solicitações para uso da marca, produção de materiais e participação em ações de conscientização da sociedade e combate à pirataria. A cada dia, também aumenta a mobilização de educadores, microempresários e de representantes de multinacionais e entidades de classe interessados em ajudar no combate à pirataria no Brasil.

A campanha nasceu justamente da percepção dos Analistas-Tributários da Receita Federal, que trabalham em regiões de fronteira e que apreendem volumes cada vez maiores de produtos piratas. Inicialmente, a meta era ampliar o debate e mostrar que a pirataria provoca sérios problemas ao Brasil. Nesse momento, a pirataria entrou na pauta dos debates da categoria e tornou-se uma preocupação nacional. Percebeu-se que, além do aumento nas apreensões, crescia também a diversificação de produtos piratas. Já não se falava apenas de CD’s e DVD’s. Os Analistas-Tributários passaram a apreender, cada vez mais, medicamentos, produtos agrícolas como agrotóxicos, brinquedos, óculos, vestuários, peças de veículos, ou seja uma infinidade de produtos piratas que trazem risco real à saúde da população.

(Com informações da Ascom/Sindireceita)

Compartilhe