Empresários pedem intensificação de operações para combater o contrabando

Representantes de entidades empresariais pediram ao vice-presidente Michel Temer o aumento da duração das operações de combate a ilícitos nas fronteiras. Eles representam empresas afetadas pelo contrabando de produtos.

“Com a Operação Ágata, o contrabando caiu drasticamente. Por isso é necessário prolongar a sua durabilidade”, defendeu o presidente do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), Evandro Guimarães.

Coordenador do Plano Estratégico de Fronteiras (PEF), o vice-presidente reconheceu a legitimidade do pedido. “Conversarei com os ministros da Defesa e da Justiça para traçarmos a melhor forma de intensificar o combate aos ilícitos transfronteiriços, que acarretam prejuízos econômicos, sociais e contribuem para o crescimento da criminalidade nas cidades”, concluiu.

Coordenada pelo Ministério da Defesa, a Operação Ágata ocorre esporadicamente nas fronteiras do Brasil e conta com o apoio do Ministério da Justiça, Receita Federal, polícias dos estados e outros órgão públicos.

Saiba mais sobre a Operação Ágata, clicando aqui

 

 

Compartilhe