Nosso compromisso para 2016

Evandro Guimarães, Presidente Executivo do ETCO

 

por Evandro Guimarães, presidente do ETCO

Em relação à missão do ETCO de contribuir para tornar o ambiente de negócios mais saudável, combatendo as práticas desleais, 2015 foi um ano trabalhoso, mas pouco produtivo.  Infelizmente, não houve avanços significativos na redução da sonegação fiscal, na simplificação tributária, no enfrentamento vigoroso ao contrabando, à falsificação de produtos, à pirataria.

A pesquisa que realizamos em parceria com o Instituto Brasileiro de Economia da FGV, sobre a representatividade das atividades informais no País, é prova disso. O Índice da Economia Subterrânea, medido desde 2003, vinha caindo de forma sistemática, mas em 2015 ficou estagnado e, segundo os pesquisadores, há indícios de que pode estar voltando a crescer.

Esse cenário desfavorável à ética nos negócios resulta, em parte, da crise econômica do País. Em momentos de crise, sobretudo quando o governo aumenta impostos, como tem sido o caso, existe sempre o risco de aumento da informalidade e da ilegalidade. Mas essa deterioração reflete também a falta de determinação no combate a esses males.

O único avanço talvez tenha sido no campo do combate à corrupção. Ainda é cedo para avaliar se as revelações e condenações que estão dando tanta esperança aos brasileiros surtirão o efeito esperado de reduzir a corrupção em contratações públicas. Existe ainda uma longa batalha na Justiça.

Em relação a 2016, sabemos que será também um ano difícil. Nosso compromisso é continuar participando ou liderando movimentos para combater os desvios concorrenciais que prejudicam o desenvolvimento do Brasil. Essa é a nossa luta.

Compartilhe