Operação Jerichó quer legalizar mercado da Uruguaiana

A prefeitura do Rio de Janeiro espera legalizar toda a área do mercado popular da Uruguaiana, no centro do Rio, conhecido como camelódromo. Para isso, deu início na terça-feira (7) à Operação Jerichó de combate à pirataria, que foi feita em duas etapas e deve terminar nesta sexta (10).

Inicialmente, policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial, em conjunto com fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), interditaram para fiscalização os 1,6 mil boxes do centro comercial e apreendeu cerca de 3 toneladas de mercadorias, a maioria delas falsificadas e roubadas.

A segunda fase da operação tem o objetivo de regularizar a destinação dos boxes do camelódromo. “A partir de amanhã, a prefeitura orientará os trabalhadores de cada box para que apresentem os documentos necessários para a regularização do estabelecimento”, disse o secretário Leandro Matiele.

A coordenadora da Central de Mandados Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Moana Marques Linhares, conta que a polícia se infiltrou no local, meses antes da operação, para identificar os comerciantes que vendiam produtos falsificados. A busca, então, foi reduzida para cerca de 300 boxes.

A presidente da Comissão de Quadras do mercado popular, Iara Silva da Cunha, que trabalha há 22 anos no local, defendeu a ação da Polícia Civil, desde que apenas as mercadorias piratas sejam apreendidas. “Eles estão fazendo o serviço deles, eu não sou contra. Mas nem todos aqui trabalham com pirataria”, disse Iara.

 

Fonte: Jornal do Commercio (10/07)

Para acessar a matéria complete, clique aqui

Compartilhe