Receita Federal aperta o cerco ao contrabando

No primeiro semestre, operações em fronteiras, portos e aeroportos cresceram 21%

 

Em 2015, a Receita Federal reforçou a fiscalização e o controle de aeroportos, portos e unidades de fronteiras terrestres com o objetivo de combater duas práticas que afetam de forma muito agressiva o setor produtivo brasileiro: o contrabando (entrada de itens proibidos) e o descaminho (produtos legais, mas que entram sem pagar o devido imposto).

Ao longo do primeiro semestre deste ano foram realizadas 1 834 operações de vigilância, 21% mais que no mesmo período de 2014. A fiscalização ficou mais severa também nos aeroportos, por ondem entram indevidamente produtos vindos sobretudo de Miami. De acordo com o Balanço Aduaneiro divulgado pela Receita Federal, as apreensões feitas de janeiro a junho resultaram em um montante de R$ 933,7 milhões. O número é 5% maior que o registrado no primeiro semestre de 2014. Entre as mercadorias apreendidas encontram-se produtos falsificados, tóxicos, medicamentos e eletrônicos.

Compartilhe