Economia brasileira que não entra na conta do PIB é maior que Dinamarca

UOL – São Paulo/SP – ECONOMIA – 10/07/2013

Matheus Lombardi

Do UOL, em São Paulo

A economia “subterrânea” brasileira, aquela que não é computada na conta do Produto Interno Bruto (PIB), movimentou em 2012 mais do que toda a economia da Dinamarca, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO).

Além do mercado informal, o indicador calcula tudo aquilo que é movimentado no país, mas não é informado oficialmente ao governo. Por exemplo, uma fábrica que produz 100 pares de sapato e declara apenas 90 ao governo, colabora com 10 pares para a economia “subterrânea”.

De acordo com o estudo, a economia “subterrânea” movimentou R$ 730 bilhões em 2012, cerca de 16% do Produto Interno Bruto do país. A economia da Dinamarca movimentou cerca de R$ 715 bilhões no mesmo período.

Ritmo de queda da informalidade diminui

O indicador teve uma redução em relação ao percentual do PIB registrado em 2011, passando de 21% da economia do país para 16%. Porém, houve uma desaceleração no ritmo da queda.

“Essa desaceleração se deve, basicamente, ao recuo das contratações formais pela indústria e ao crescimento do setor de serviços, que é intensivo em mão de obra e está bastante dinâmico, mas tem níveis de informalidade maiores do que a indústria”, disse o pesquisador do IBRE/FGV Fernando de Holanda Barbosa Filho, responsável pela pesquisa.

O economista ressalta que, apesar da redução do ritmo de queda do índice, o resultado ainda é positivo. “É preciso levar em consideração que, mesmo com o baixo desempenho da economia no ano, a informalidade continua caindo”, afirma.

Economia cresceu 0,9% em 2012, no pior ano desde 2009

A economia brasileira cresceu 0,9% em 2012, no pior desempenho anual desde 2009, quando encolheu 0,3%. Em 2011, houve crescimento de 2,7% e, em 2010, de 7,5%.

Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 4,403 trilhões em 2012. O PIB per capita alcançou R$ 22.402, mantendo-se praticamente estável (0,1%) em relação a 2011.

Considerando os três setores da economia, serviços foi o único que apresentou desempenho positivo no acumulado de 2012, com alta de 1,7%. Por sua vez, a indústria encolheu 0,8% e a agropecuária despencou 2,3%.

UOL – São Paulo/SP – ECONOMIA – 10/07/2013

Compartilhe