ETCO participa de Fórum da Folha de S. Paulo sobre contrabando

O presidente do ETCO – Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial, Evandro Guimarães, foi um dos palestrantes do fórum O Contrabando no Brasil, realizado pelo jornal Folha de S. Paulo nos dias 18 e 19 de março. Em um painel com o jurista Ives Gandra Martins e o ex-presidente da Comissão de Valores Mobiliários Roberto Teixeira da Costa, o presidente do ETCO falou sobre os prejuízos provocados pelo contrabando e a necessidade de medidas mais efetivas para o seu combate. “Estamos cansados de ver o problema ser administrado com palavras”, disse Guimarães.

Ele citou os diversos prejuízos que o contrabando provoca ao país, como a concorrência desleal com empresas que cumprem suas obrigações, a perda de arrecadação tributária, a corrupção de agentes públicos e os riscos à saúde da população. “De 30% a 40% das seringas descartáveis chegam ao país ilegalmente”, afirmou. “Brinquedos são vendidos sem passar por inspeção dos órgãos que protegem a segurança das crianças.”

O presidente do ETCO lembrou que o contrabando alimenta o crime organizado. “É um problema de segurança pública”, disse. Em alguns segmentos, segundo ele, a alta carga tributária acaba tornando o comércio ilegal mais lucrativo do que o tráfico de drogas, porém com penas menores, o que acaba dificultando ainda mais o seu combate. Guimarães reclamou também da “postura leniente” do governo brasileiro em relação ao contrabando paraguaio, que abastece grande parte dos mercados consumidores do Brasil.

O ETCO foi um dos patrocinadores do fórum realizado pela Folha de S. Paulo. O resumo dos debates está disponível no site do evento e a reportagem sobre o painel com a participação de Evandro Guimarães pode ser acessada aqui.

Compartilhe