PF faz megaoperação contra máfia dos combustíveis

Por ETCO
10/11/2004


Alessandro Soler, Ana Cláudia Costa e Cristiane de Cássia –
O Globo, 08/11/2004


RIO – Trinta e seis pessoas, entre elas 21 policiais rodoviários federais, foram presas no Rio na operação Poeira no Asfalto, deflagrada no início da manhã desta segunda-feira para prender 56 envolvidos com a máfia dos combustíveis no estado do Rio e no Paraná. O delegado da Polícia Federal Cláudio Nogueira, responsável pela operação, disse que a quadrilha chegava a dar um prejuízo de US$ 5 milhões por ano ao país.


Entre os acusados há fiscais de tributos estaduais e do meio ambiente, além de policiais civis e militares e policiais rodoviários federais, entre eles o ex-superintendente da PRF no Rio, Francisco Carlos da Silva, que foi preso em casa, na Rua Professor Mota Maia, no Recreio dos Bandeirantes. Com ele foram apreendidos vários documentos, um computador, uma escopeta calibre 12 e três pistolas. Francisco da Silva era responsável pela liberação dos caminhões nas rodovias sem serem vistoriados.


Em Volta Redonda, no sul do Estado do Rio, foram apreendidos cerca de R$ 400 mil em dinheiro na casa de um fiscal da Fazenda estadual, montante que, segundo policiais, seria fruto de propina recebida para liberar caminhões com combustíveis na Rodovia Presidente Dutra.


Segundo Cláudio Nogueira, empresários enviavam caminhões de álcool de Paulínia (SP) e de Campos para o Rio com notas fiscais falsas e notas endereçadas a estados com ICMS mais baixo. Entre os cabeças do esquema presos estão Paulo Roberto Prette, Renan de Macedo Leite e Sidmar Ribeiro da Silva.


A maioria dos policiais rodoviários federais acusados mora num condomínio de luxo na Barra, o Rio Mar II, na Avenida Abelardo Bueno. A operação acontece ainda em Campos e Volta Redonda. Além de policiais do Rio, participam da ação agentes de São Paulo, do Paraná e de Brasília. Os policiais cumprem mandados de prisão expedidos pela justiça.