Os paradoxos da terceirização

Eduardo Pastore é advogado, mestre em direito das relações sociais e membro do Comitê RH de Apoio Legislativo/ Associação Brasileira de Recursos Humanos/SP, comenta sobre antagonismos referentes à terceirização.

Para alguns críticos, a terceirização representa a sanha capitalista, que somente visa à redução de custos operacionais da empresa, fragilizando direitos dos trabalhadores. As contradições são explicadas em artigo publicado em O Estado de S.Paulo de 26/06/2014, reproduzido a seguir.

Texto completo

Compartilhe