Reunião em Salvador discute o combate à pirataria e ao comércio ilegal

Cidade tem mais de 30 mil ambulantes em Salvador, mas apenas 12 mil licenças emitidas

Reunião realizada na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) em Salvador (BA) no fim de abril apresentou um plano de ordenamento urbano para a retirada de camelôs que atuam de forma irregular na cidade.

Estimativas mostram que existem mais de 30 mil ambulantes em Salvador, mas apenas 12 mil licenças emitidas.

O encontro contou com 32 participantes, entre as quais o Secretário Executivo do Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), Rodolfo Tamanaha, e a Secretária da Ordem Pública de Salvador, Rosemma Maluf, além de representantes da Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Prefeitura de Salvador, Secretaria de Fazenda, Ministério Público, Receita Federal e Polícia Militar.

O plano de ordenamento tem como objetivo retirar os ambulantes de 14 áreas mapeadas, como a Praça Rio Branco, Avenida 7 de Setembro e Largo do Rosário. Além disso, existe o plano de padronizar as barracas em algumas vias públicas.

Atualmente, alguns camelôs têm sido encaminhados ao Shopping Popular da Baixa do Sapateiro, além de outro local que está sendo construído próximo ao Convento de São Bento.

Durante a reunião, foram apresentados os resultados das operações da Polícia Rodoviária Federal na Bahia, principalmente no que se refere a apreensões de medicamentos falsificados, combustíveis adulterados e cigarros. Apesar do sucesso nessas apreensões, durante a reunião foi mencionada a necessidade de mais equipamentos para o andamento do trabalho.

 

Compartilhe